quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Um soco na arrogância da visão seletiva supostamente intelectual (ou, Carta Aberta ao antropólogo Roberto DaMatta)




Roberto DaMatta, li, ontem (08/10/2014), o seu texto “Um soco na onipotência”, onde você defende que o PT seja “defenestrado do poder” e revela ter sentido a angústia diminuída ao ver Aécio chegar ao segundo turno dessas eleições. Na sua visão, Aécio, tendo “achado o seu papel e o seu tom”, e “com sua tranquilidade”, irá proporcionar ao Brasil a “descoberta da soma e da continuidade”.
Senti uma enorme tristeza ao término da leitura. Sempre respeitei você e seus pensamentos. O seu texto para mim significou, de fato, um soco de alto teor destrutivo, porém não na onipotência do PT, mas na imagem do antropólogo Roberto DaMatta, que nunca imaginei pudesse abdicar da inteligência para defender uma causa.
Participo pouco do Facebook, mais para divulgar meus textos. Isso porque percebo nas redes sociais uma enorme carência de discussão inteligente e racional dos problemas políticos brasileiros. Trata-se de mera gritaria irracional, com repetição de memes e de conteúdo absolutamente raso. É nessas discussões adialéticas, onde não é possível o contraponto, visto como ofensa, e cuja pretensão é somente a de fazer prevalecer a própria visão e de repelir agressivamente todo pensamento que contrarie essa ótica, que vejo comumente serem usadas essas expressões de mera injúria como “petralhas”, “tucanalhas”, “privataria”, “coxinhas” e, vejam só, “lulopetismo”, a mesma utilizada por você, um intelectual.

Nas redes sociais, busco relevar o mais possível o uso dessas palavras de ordem, fundamentalistas e estimuladoras da divisão e do acirramento, porque não sou insensível ao fato de que esse uso, em geral, surge da falta de oportunidade de acesso a uma cultura de discussões de alto nível. Entretanto, quando percebo que esse mesmo estilo, digamos, “literário” é manipulado por pessoas que deveriam ser o farol a seguir no que concerne à inteligência e à razão, dói no coração e a sensação de impotência no enfrentamento e solução dos problemas públicos cresce na alma. Discussões baratas conduzem a resultados igualmente baratos.
Como um intelectual pode se unir à grita da corrupção generalizada petista assim, de forma tão leviana? Sem o adensamento das causas? Sem uma perspectiva histórica? Sem analisar o sistema legal que proporciona tais desvios? Sem uma análise comparativa? Sem qualquer pronunciamento sobre a existência ou não das ações de combate? A corrupção inexistia no Brasil pré-PT ou nasce a partir da assunção desse partido? A malfadada governabilidade no Brasil - e seus filhos diletos, o fisiologismo e o patrimonialismo - é uma pré-condição do exercício do poder ou somente foi e será praticada pelo PT, mas não por outros partidos que eventualmente venham a conquistas o governo? Em outras palavras, é possível a qualquer partido governar sem se render aos clamores e anseios de sua inexoravelmente necessária base de apoio?
DaMatta, a tristeza que me doeu, ao ler seu texto, veio-me da constatação de que, mesmo um formador de opinião como você, com enorme capilaridade na divulgação através de organismos gigantes como “O Globo”, e que, na condição de intelectual, possui ou deveria possuir capacidade de análise crítica dos fatos presentes e de, a partir dessa capacitação, também de intuição sobre o futuro que poucos podem se arvorar de possuir, ainda assim arrisca-se em relação à própria reputação e biografia ao escrever textos supostamente analíticos, mas cujo conteúdo é exclusivamente panfletário e demonstração de exercício do mais puro e, diria mesmo, infantil “wishful thinking”. De fato, custo a crer, perdoe-me, que você acredite no que escreveu.
Sei que você sabe (ou deveria saber) que um dos primeiros atos de Fernando Henrique Cardoso (desse mesmo PSDB que você agora tão calorosamente articula em favor), assinado somente dezoito dias depois de tomar posse, através do Decreto nº 1.376/1995, foi extinguir a Comissão para Investigar a Corrupção, comissão que havia sido criada em 1993 por Itamar Franco.
Lula, no dia 1º de janeiro de 2003, primeiro dia de seu governo, a partir da antiga Corregedoria-Geral da União, assinou a MP n° 103/2003 (depois Lei n° 10.683/2003), criando a Controladoria-Geral da União e atribuindo ao seu titular a denominação de Ministro de Estado do Controle e da Transparência, o que implicou elevar o status administrativo da pasta e sinalizou aos subalternos o norte a ser orientado.
Nos oito anos de governo do PSDB, com FHC, a Polícia Federal realizou um total de 48 (quarenta e oito) operações, ou seja, uma média de seis operações por ano.
Nos doze anos de governo do PT, essa número saltou para cerca de duas mil e trezentas, o que dá uma média de mais de 190 (cento e noventa) por ano.
Ao assumir, o governo do PT encontrou cerca de cem varas federais. Agora já são mais de quinhentas.
Como você sabe, ou deveria saber, são as operações da Polícia Federal e as varas da Justiça Federal que, no âmbito federal, investigam, combatem e julgam os crimes de corrupção.
Durante o governo do PSDB, havia Geraldo Brindeiro, o “engavetador geral da república”.
Durante o governo do PT poderosos membros do governo em exercício foram investigados, denunciados pelo Procurador Geral da República (não mais um “engavetador”), julgados, condenados e presos por corrupção. Você pode não apreciar a famosa expressão do Lula, “nunca antes na história desse país”, mas, quanto a esse fato, é possível desmenti-la? Quando e em que circunstâncias isso, antes, ocorreu?
De que forma, DaMatta, esses fatos (que você facilmente encontrará em sites idôneos da internet) se coadunam com a sua afirmação de “corrupção deslavada do PT”?
DaMatta, o comum do povo, desprovido dos mesmos mecanismos de acesso à informação e ao conhecimento, pode não saber, como você sabe, que não existem administrações, privadas ou públicas, imunes à prática de ilícitos. O que diferencia uma boa administração de uma ruim é como se lida com os infratores. Há liberdade para as instituições funcionarem, investigando e eventualmente punindo, ou tudo é conduzido para debaixo do tapete por diligentes engavetadores?
Mexa no formigueiro, DaMatta, e isso aumentará o número de formigas visíveis. Você sabe disso, é o “efeito percepção”. Concluir que, porque não se viam as formigas antes, elas não existiam, é exercício da mais perfeita idiotice, desculpável somente aos ignorantes, não aos cultos.
DaMatta, todo o suposto prejuízo do mensalão (não vou entrar no mérito da existência do crime, que já foi julgado pelo STF, mas você sabe que se discute bastante se o dinheiro supostamente “desviado” não se encontra nos cofres da Globo, da Folha, do Estadão e de outros órgãos da imprensa, de forma lícita, através de contratos legítimos de publicidade), não chega a 75 (setenta e cinco) milhões de reais. Sem questionar a validade das privatizações realizadas pelo FHC, há estudiosos do assunto, idôneos, que alegam que o prejuízo com as vendas das estatais, a partir do uso das “moedas podres” e outros “incentivos”, pode ter chegado a cerca de 2 (dois) bilhões e 400 (quatrocentos) milhões de reais. Isso mesmo, entregamos o patrimônio todo e, longe de reduzirmos o déficit público, ainda acrescentamos essa montanha de dinheiro à nossa dívida pública. Porém, muita gente ficou multimilionária a partir das privatizações do PSDB.
Esse valor, DaMatta, corresponde a mais de trinta e duas vezes o valor do mensalão, em valores não atualizados (se atualizar passa fácil de cinquenta vezes). Claro, na sua percepção você não deve considerar isso corrupção, não é mesmo?
Ou, quem sabe, DaMatta, talvez você tenha algo a dizer sobre as privatizações tucanas, sobre a atuação de José Serra em conjunto com sua filha Verônica e seu genro Alexandre Burgeois, sobre Daniel Dantas e sua filha, também Verônica, sobre Ricardo Sérgio de Oliveira no Banco do Brasil (agindo “no limite da irresponsabilidade”), sobre André Lara Rezende e as operações de câmbio, a família Jeressaiti e a aquisição da Telemar, sobre o Banestado.
Só o Banestado, DaMatta, ocorrido em pleno governo FHC, causou um prejuízo de mais de 19 (dezenove) bilhões de dólares, que foram ilegalmente remetidos para os Estados Unidos.
Começo a concordar, DaMatta, que os petistas são incompetentes, pelo menos no quesito “desvio de dinheiro público”.
Enfim, retorno à indagação que fiz acima: a corrupção é uma característica do PT? Se não, onde estão os condenados por corrupção do período do PSDB no governo federal?
E Aécio, DaMatta? Está ele livre de indícios de corrupção em sua passagem pelo governo mineiro? Você bem sabe que Minas Gerais, com o PSDB, foi o berço do mensalão tucano, gerido pelo mesmo indivíduo, o publicitário Marcos Valério, cujos tentáculos se espraiaram em direção ao governdo federal do PT. Além disso, você sabe que Aécio é réu, acusado de improbidade administrativa, em ação civil pública movida pelo Ministério Público Estadual, em razão de desvio de 4 (quatro) bilhões e 300 (trezentos) milhões de reais da área da saúde em Minas, não sabe? E o aeroporto construído com dinheiro público em área desapropriada de parte da fazenda de seu tio, em Minas, ouviu falar sobre isso?
Bom, tudo isso eu relato, DaMatta, em função de sua visão estreita e seletiva sobre a corrupção do PT, olvidando-se (de forma proposital?) daquela oriunda dos quadros tucanos. Em princípio, não me parece o papel de um intelectual. Passável para uma pessoa comum, para redatores de Facebook, essa visão reducionista é, no meu entender, vergonhosa para um erudito.
Até compreendo que existam na mídia os “experts” (substitutos de segunda linha dos verdadeiros intelectuais) vendendo suas falsas expertises a soldo, uma para cada gosto, mas não acredito que seja o seu caso. Prefiro acreditar num ato menos pensado, numa torcida apaixonada, passional, talvez resultado de algum elemento pessoal por mim desconhecido, como, por exemplo, ter sido prejudicado individualmente pelo PT de alguma forma ou possuir relação estreita com alguém do PSDB. Ainda assim, não há justificativa para a edição de um panfleto tão raso, tão ao gosto da Rede Globo, da Folha e do Estadão e da revista Veja. Você, DaMatta, um intelectual cujo respeito não será por mim perdido por um deslize, infelizmente pôs-se ombro a ombro com o nível de um Reinaldo Azevedo ou de um Augusto Nunes. Tornou-se um Jabor. Se insistir nessa linha, será nivelado, torço para que isso não ocorra, a um Merval Pereira, o imortal da coletânea única.
DaMatta, retorne à sanidade intelectual. Não para infalivelmente apoiar o PT, mas para, se for o caso, rejeitá-lo pelos motivos lógicos e racionais corretos, ou seja, fundamentando sua contrariedade à linha econômica petista; ou à forma como ocorre, hoje, o enfrentamento da questão social; ou, ainda, pelas teses de relações internacionais atualmente defendidas pelo Itamaraty; ou por qualquer outra que você, livremente e como cidadão, considerar não ser adequada ao seu pensamento.
O que não dá é para alcunhar o PT de “dono espúrio de um Brasil que é de todos nós”, uma frase de efeito cujo único objetivo é o aplauso fácil. Ou de falar em “aparelhamento do Estado”, um mantra que pode ser considerado bonitinho para aqueles que ignoram as formas pelas quais se materializam os processos políticos, mas que se torna ridículo se proferido por um intelectual ciente de que o aparelhamento do Estado faz parte do processo democrático, uma vez que todo partido que chega ao poder preenche os espaços de indicação política existentes no governo justamente como meio de oferecer aos eleitores a direção política que eles escolheram através da eleição livre. Ou você, DaMatta, acha que o PSDB não “aparelhou” o governo federal, quando lá esteve, ou, atualmente, não nomeou todo e cada um dos cargos políticos de livre nomeação no Estado de São Paulo durante esses vinte anos de seu governo (algo a dizer sobre a “perpetuação no poder” em São Paulo?).
Vamos nos ater à discussão política, então. Vamos falar de economia, de saúde, de segurança pública, de educação e de quem consideramos mais apto a enfrentar esses enormes desafios. Porque, no tema corrupção, DaMatta, e estou afirmando algo que sei que você de antemão sabe, somente existem telhados de vidro.
Não desça ao nível dos tabloides. Você é maior do que eles. Ainda acredito e torço por você.

Do seu leitor, Marcio Valley.

50 comentários :

  1. CELSO FELÍCIO PANZA9 de outubro de 2014 18:24

    Vim ler o seu contraponto como postado em meu espaço no Recanto das Letras onde você me deu o prazer de acessar. Sou absolutamente apartidário, o era por convicção e após até por vínculo corporativo que inibe qualquer ligame com a política institucional. Respeito tudo que você colocou e fico em anuência a várias pontuações, nenhum partido é vestal, mas a corrupção há de ser combatida com todas as forças, embora só inocentes pensam que um dia possa ser erradicada. Ela adere ao homem como o egoísmo que preside a maior parte de sua vontade. Só adito que fico inteiramente com as razões de Da Matta para não entrar na concausa do que se estabeleceu como RAZÕES DE ESTADO, qualquer que sejam os meios os fins devem ser atingidos. Quais, a drenagem de dinheiro para o PT caudalosa relatada hoje pelo agente finenceiro da Petrobras, preso no momento sob benesse de entregar mais um esquema, sim, dessa gestão? Não se combate um mal com sustentação em mal anterior, e veja, nenhum mal se ocorrente é maior do que o que agora se estabelece no Brasil. Meu abraço e meu respeito ao contraditório, aliás, direito de espressão constitucional, garantia de liberdade fundamental de cidadania, que o PT quer a todo custo regular e controlar, para no fim amordaçar. Celso Felício Panza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Celso Felício Panza, obrigado por vir aqui trazer o seu ponto de vista. Certamente que temos a obrigação moral de respeitar o direito à manifestação da opinião. Pode-se não concordar com a opinião, mas o direito de manifestação é absolutamente sagrado, a meu ver. No fundo, com opiniões divergentes, pretendemos, creio, a mesma coisa a construção de uma sociedade verdadeiramente humana, onde o altruísmo social nos diferencie dos meros predadores. Grande abraço. Marcio Valley.

      Excluir
    2. Caro Marcio, li atentamente seu desabafo e respeito o fato de você guardar seus ressentimentos do período FHC, mas daí a questionar a intelectualidade do Prof. Da Matta, é muito preocupante... Você mesmo diz que temos a obrigação moral de respeitar a opinião alheia, sendo assim, julguei um desrespeito a forma como refutou a opinião manifestada pelo conceituado antropólogo. Criticar o PSDB, é seu direito democrático, mas, daí a defender a roubalheira que aí está, ou melhor, defender os atos predatórios desse governo petista, no mínimo, contradiz seu pretenso altruísmo social! Apesar de divergirmos politicamente, não significa que também não almejo uma sociedade menos desigual e, principalmente, mais educada e justa. Grata pela oportunidade de ler seu artigo! Boa sorte a todos nós!

      Excluir
    3. Raquel Appezzato, você se equivocou. Eu disse que respeito o direito à manifestação da opinião. É um direito sagrado. Porém, o direito à crítica, que é também uma opinião, é igualmente sagrado. Se você publica uma opinião, não pretenda, nunca, que essa opinião não seja criticada por ninguém. Por outro lado, não questionei a intelectualidade de DaMatta, questionei o abandono da inteligência em função da defesa apaixonada, desarrazoada, de uma causa. Agora, o maior erro que, na minha opinião, você cometeu, foi afirmar que defendi a "roubalheira do PT". Meu texto está longe disso, talvez você não o tenha compreendido, peço desculpas se não escrevi de forma mais clara. Quanto meu "pretenso altruísmo social", o único comentário que tenho a fazer é de que achei deselegante a expressão, inclusive porque você não me conhece. Quanto à sociedade que você almeja, boa sorte em suas escolhas políticas, agora, se sua opção for o PSDB, acho bem difícil. Trata-se de um partido mercadista, cuja orientação econômica é direcionada à saúde do que eles chamam de "mercado" (leia-se: financistas). Eles já governaram o Brasil e estados importantes, como São Paulo e Minas Gerais. Talvez você tenha mais sorte do que eu em encontrar programas sociais relevantes nos governos do PSDB. Eu não encontrei. Te convido a voltar ao blog e indicar suas descobertas. Abraços.

      Excluir
    4. Celso, tenho a impressão de que você fugiu totalmente do tema. O tema aqui não é sobre "combater o mal", mas sim sobre o DaMata deixar de ser hipócrita. Como você foi agora, com essa panfletagem 'nenhum mal se ocorrente é maior do que o que agora se estabelece no Brasil". Desculpe a pergunta, mas você foi pago por alguém para vir aqui dizer isso? Primeiro você vem com a conversa de que a corrupção "adera ao homem, blá blá blá", ou seja, sabe que ela é inerente e depois vem falar de Petrobrás? Venha aqui em MG fazer um devassa nas contas e contratos da CEMIG (fora que em MG a conta de luz tem 30% de ICMS). Venha aqui perguntar à Assembléia quantas CPIs ela engavetou. Venha ver quantos inquéritos e processos e denúncias o MP de MG arquivou (fico até com vergonha). Então, meu amigo, se quer discutir política, leia de novo o nosso caro Marcio Valley, e o faça sabendo que o que importa é o que o governo faz APESAR da corrupção. Pois, se você for comparar o que o governo faz contra a corrupção, os fatos estão aí demonstrando a surra que o PT dá no PSDB. Leia o texto de novo, faça a si mesmo esse favor. Abraço fraterno! Cuidado com o Aécio!

      Excluir
    5. Márcio,
      Li atentamente a sua resposta ao antropólogo Roberto Da Matta e respeitosamente quero fazer algumas considerações: Vejo que prevaleceu uma lógica da explicação da CORRUPÇÃO do PT X CORRUPÇÃO do PSDB, o que convenhamos é conduta Ética e Moralmente condenáveis...
      Mas do que comparar épocas e conjunturas econômicas de crises sociais muito diferentes e sem poder ou querer minimizar os grandes avanços dos programas de renda mínima criados por FHC e sistematizados e aumentados consideravelmente no governo LULA, o que está permeando a discussão nesta eleição e aí é objeto de discussão principalmente da classe média aviltada pela cobrança de altos impostos e sem a devida contrapartida em serviços públicos (saúde, educação, segurança urbana etc) com maior escolaridade é que em detrimento de um maior acolhimento das classes menos favorecidas existe um questionamento maior de um APARELHAMENTO PARTIDÁRIO no Estado Brasileiro com ênfase nas estatais, fundos de pensão e ministérios e que visivelmente ameaça o ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO, quando o Poder Executivo busca subornar o Poder Legislativo além de influenciar o Poder Judiciário! Talvez essa indignação de alguns brasileiros mais esclarecidos não consiga sintetizar esse risco visível por que passa a nação brasileira!
      Saliento que não sou eleitor de Aécio Neves e pertenço à categoria petroleira que foi massacrada por FHC, mas isso não nos deixa cegos para não enxergar essa inconteste realidade.
      Pela sua formação cultural é obvio que o Senhor Sabe que essa realidade de ameaça à nossa democracia é infelizmente INCOMPREENSIVEL para os segmentos com menor escolaridade da nossa nação tornando-os presas fáceis do terror e populismo marqueteiro.
      O Brasil já está dividido e as urnas evidenciaram isso, lentamente se chegará a um separatismo social no estilo venezuelano, além dos avanços econômicos, os valores morais e cristãos e a defesa da família são componentes essenciais das escolhas dos brasileiros e devem ser amplamente debatidos sem uma manipulação maniqueísta de (BEM X MAL).
      Agora querer tolher o pensamento contraditório e imprimir a pecha de egoístas a todos que tenham uma visão focada um pouco além da fome, convenhamos é conspirar para que num futuro próximo tenhamos um pais pior, pois se num passado recente os problemas maiores era a Ditadura e a inflação, hoje com o aprimoramento da cidadania pós CF/1988, a CORRUPÇÃO é visivelmente um empecilho a uma melhor distribuição de renda e melhoria da população.


      Edson Almeida

      Excluir
    6. Celso Felício Panza, o PT propõe a regulação econômica da mídia, que já é previsto na Constituição e tem a intenção de acabar com os grandes monopólios. Não tem absolutamente nada a ver com controle de conteúdo ou censura. Pare de repetir o que você lê por aí sem buscar saber antes do que se trata. Além disso, quem vive em Minas sabe que o Aécio é quem comanda a mídia, gosta de controlar e censurar, inclusive tentando na justiça interferir nas pesquisas do Google e cancelar algumas contas do Twitter. Um abraço.

      Excluir
    7. Permaneça informando sempre !!! Obrigada

      Excluir
  2. LEIA-SE DIREITO DE EXPRESSÃO. ONDE SE DIGITOU COM INCORREÇÃO ESPRESSÃO. CELSO.F, PANZA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que se equibocou, ou leu pouco sobre o tema liberdade ou direito de expressão quando acusa o PT de tentar controlar e amordaçar. Não é disso que se trata, procure informações em outras fontes.

      Excluir
  3. O PT traiu, o PT roubou, a cúpula do PT está na PAPUDA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas posso respeitar sua opinião e lamentar que você pense assim. Em minha modesta opinião, a visão que você expõe é simplista e não envolve todos os aspectos da questão. São afirmações categóricas que qualquer um tranquilamente poderia realizar em relação a qualquer partido que já exerceu o poder. Grande abraço. Marcio Valley

      Excluir
    2. Caro Márcio, creio ser de bom alvitre, antes de postar uma "notícia", AVERIGUAR se não há uma continuação daquele assunto. Postar TUDO, Não apenas a parte que tenta denegrir. No link que vou postar, TODOS V E R ã O que o PROCESSO FOI EXTINTO, mas o ilustre cidadão O M I T I U... O que pode se pensar? Tenho certeza que sabia que fora extinto, sim!!
      Por gentileza, abra o link . Nele há indicação para chegar à sentença/ acórdão "inteiro teor"
      http://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/tjmg-arquiva-senten%C3%A7a-por-improbidade-administrativa-a-a%C3%A9cio-1.864122
      Um bom fim de semana!!!

      Excluir
    3. Obrigado, Anônimo, por vir ao blog e trazer a nós a sua opinião de que a justiça é infalível. É bom saber que existem pessoas, diferentes de mim, que acreditam na justiça. Grande abraço. Marcio Valley.

      Excluir
    4. Marcio, por que vc mentiu dizendo que a CGU foi criada na era Lula? acaso desconhece a história do Brasil ou está puxando sardinha pro seu lado? http://pt.wikipedia.org/wiki/Controladoria-Geral_da_Uni%C3%A3o_(Brasil)

      Excluir
    5. Marcio, desiste cara. quem cai na falácia PTista desde o inicio vota no PT, são pessoas que não tem senso crítico desde o início. pessoas pensadoras após ler um texto manipulatório como este cresce ainda mais o desejo de trocar de gestão , para acabar com as mentiras todas.

      Excluir
    6. Medweiser, O PSDB criou a Corregedoria e, detalhe, no final de seu mandato. O PT criou sim a Controladoria, logo no início do seu mandato, que é diferente e bem mais abrangente. Não é porque a sigla é a mesma que se tratam da mesma coisa. Procure estudar e saber mais do assunto, ok? Valeu.

      Excluir
  4. Achei o texto simplesmente genial.
    Partindo do desprincipio de que a maioria não é burra Dilma será eleita por aqueles que de alguma maneira tiveram benefícios sociais ou por aquelas pessoas Valley que como você pensam no pais em vez de olhar pro próprio umbigo.
    Obrigado, ainda há esperança....

    Francisco Santos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Francisco Santos. Volte sempre. Marcio Valley.

      Excluir
  5. Respostas
    1. Que bom que você gostou, Palanca. Venha ao blog de vez em quando. Se não tiver nada novo (porque não escrevo diariamente), leia um dos textos antigos. Abração. Marcio Valley.

      Excluir
  6. Respostas
    1. Valeu, Sílvio, pela força. Volte sempre ao blog. Abraços.

      Excluir
  7. Maria Regina Alves11 de outubro de 2014 13:42

    Texto simplesmente perfeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Maria Regina. Conto com suas visitas ao blog. Abraços. Marcio Valley.

      Excluir
  8. Roubo é roubo, seja 1 ou milhões. Argumento pífio. O eleitor mudou com o PT com o objetivo de banir a corrupção e o PT deu continuidade e multiplicou por muitas é muitas vezes.

    ResponderExcluir
  9. Qualquer coisa que se diga agora, não vai mais tocar o bom senso de ninguém. Nos resta rezar para que as pessoas que ainda não se deixaram enfeitiçar pela mídia, usem o bom senso na hora da votação. É só ver o que foi feito nesses anos de governo do PT . e olha que não foi pouca coisa. Eu sou uma pessoa que viveu todos os períodos negros do Brasil e pela primeira vez vejo o Brasil num de seus melhores momentos. Ainda acredito numa vitória da Dilma.

    ResponderExcluir
  10. Não o conheço. Faço minha suas palavras, pq o outro sempre foi arrogante, e só de escrever no O Globo já perdeu o crédito. Faz parte do PIG e vai para onde lhe der mais.

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito do texto. Concordo em grande parte com seu ponto vista bem fundamentado. Obrigada. Ronise Andrade

    ResponderExcluir
  12. Começou muito bem a análise.......terminou na mesmice de qualquer militante de esquerda do PT......

    ResponderExcluir
  13. Tânia Mara Garcia13 de outubro de 2014 10:36

    Márcio é um prazer conhecer o seu blog e ler um texto tão bom.
    É triste que as pessoas não consigam - por dificuldades de interpretação ou simplesmente por má-fé - entender a diferença entre a existência da corrupção e a percepção dessa mesma corrupção.
    Mais triste ainda, ver um antropólogo competente no seu registro, enveredar para a mera artilharia acrítica. Nenhum governo é perfeito, mas quando é o único que se permitiu olhar com compromisso para as desigualdades historicamente brutais de nossa sociedade, e criar instrumentos para reduzi-las, esse é o meu governo.
    Obrigada por sua lucidez. Voltarei sempre.

    ResponderExcluir
  14. Parabéns! Carecemos de boas leituras que nos faça pensar e nos traga a razão. Texto bem fundamentado em argumentos viáveis. Não há o que contestar.

    ResponderExcluir
  15. Já que o PT ADOOOOORA trocar os nomes e se vangloriar de inventar a pólvora, não me custa nada esclarecer a história: A CGU foi criada durante o governo de Fernando Henrique Cardoso por meio da Medida Provisória n° 2.143-31, 2 de abril de 2001, com a denominação inicial de Corregedoria-Geral da União (CGU-PR). Teve, originalmente, como propósito declarado o de combater, no âmbito do Poder Executivo Federal, a fraude e a corrupção e promover a defesa o patrimônio público.
    Quase um ano depois, o Decreto n° 4.177, de 28 de março de 2002, integrou a Secretaria Federal de Controle Interno (SFC) e a Comissão de Coordenação de Controle Interno (CCCI) à estrutura da então Corregedoria-Geral da União. O mesmo Decreto n° 4.177, de 2002, transferiu para a Corregedoria-Geral da União as competências de ouvidoria-geral, até então vinculadas ao Ministério da Justiça.
    A Medida Provisória n° 103, de 1° de janeiro de 2003, convertida na Lei n° 10.683, de 28 de maio de 2003, alterou a denominação para Controladoria-Geral da União, assim como atribuiu ao seu titular a denominação de Ministro de Estado do Controle e da Transparência. Mais recentemente, o Decreto n° 5.683, de 24 de janeiro de 2006, alterou a estrutura da CGU, conferindo maior organicidade e eficácia ao trabalho realizado pela instituição.
    Efetivou-se, desta forma, o agrupamento das principais funções administrativas de controle, correição, prevenção e ouvidoria, consolidando-as em uma única estrutura funcional. ENTÃÃÃÃÃÃO, CABE ESTA PEQUENA CORREÇÃO NO SEU POST, NÃO? Pular algumas informações e alguns anos não é legal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu texto está indicando exatamente essas informações que você "trouxe". O Lula criou a Controladoria, como você mesmo reconhece, a partir da antiga Corregedoria. Eu disse isso, basta ler. A sua "informação" não muda o fato de que foi o Lula que criou a controladoria, com status de ministério. Abçs.

      Excluir
  16. Gostei muito do seu texto. Acho que todos deveriam lê-lo. Reparei apenas que os oponentes, ou simplesmente os que não gostaram são os chamados "ANÔNIMOS". Mas quem são eles? Na minha concepção, ninguém com quem devamos nos preocupar, afinal nem coragem de aparecer têm.

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Realmente não precisa se preocupar comigo, pois eu mesmo me preocupo e por isso publico como Anônimo! Publiquei assim por já ter sofrido perseguição da pior espécie, simplesmente por ter esclarecido fatos e não comungar nesta catarse coletiva daqueles que acreditam nas mentiras repetidas, para que se transformem em verdades. Não sou oponente de ninguém, como querem transformar todas as pessoas que não comungam a mesma opinião. Sou brasileiro como todos os que aqui vieram expressar a sua opinião e acredito na Democracia e liberdade de expressão e, se coloquei um comentário de esclarecimento histórico, não o desmereça sem antes pesquisar. Blogs e alguns sites de Direita e de Esquerda (ambos podem ter partidários raivosos) podem falhar (como é o caso presente aqui) e publicar meias verdades... Faz bem saber a história do nosso País! Não acredite naquilo que lhe FALAM, acredite naquilo que você pesquisa em sites sérios!

    ResponderExcluir
  19. Primeiramente quero agradecer Marcio, por esse texto que foi um balsamo para minha alma, principalmente após ouvir o Aécio se proclamando o Messias e sem analogia nenhuma, dizendo que o que ele "sente" é que as pessoas precisam e buscam nele é mais que um plano de governo, elas buscam, vejam só:SALVAÇÃO ! Afirmou e reafirmou.
    Exercer o papel de cidadão em redes sociais é quase perda de tempo, o nível dos argumentos beira, perdoe-me, o retardamento mental. A defesa dos eleitores do Aécio é balbuciar expressões de 2 silabas: PT Rouba! PT Mau ! Medo PT! chega a ser mimoso, se não fosse trágico.
    Fiquei pensando nas pérolas que tenho visto, amigos que até então eu julgava muitíssimo esclarecidos, e não digo com isso que todos precisem votar na Dilma, mas que ao menos tenham argumentos razoáveis para o SIM e para o NÃO.
    Acho engraçado, muita gente usa esse espaço para protestar o ano inteiro, sobre a manipulação escrachada da Globo, postam suas opiniões sobre o que a emissora chama de: “Entretenimento” (?) Vaiam de pé programas como: Big Brother, Domingão do Faustão, Esquenta, Sexo e as Negas, Pé na Cova, enfim toda a produção de gosto duvidoso dessa emissora.
    Pra não me estender demais e mencionar Ratinho e diabo a quatro, vou me centralizar apenas no monopólio da mídia brasileira: a gigante Global
    As pessoas entendem o que esse tipo de lixo faz com a sociedade, dão verdadeiros exemplos de cidadania ao repudiarem esses programas de baixo nível , medíocres e deprimentes.Demonstram inteligência e discernimento em suas escolhas.
    Porem, não se rebela quando a globo divulga uma nota, de rodapé, insignificante, sobre seu “apoio” ao golpe militar, e bem baixinho, sem alarde, sem denuncia sensacionalista, sem 2 horas de exibição do que ela “obteve com exclusividade”,nada disso,
    apenas sussurra: “foi um equivoco” (?)
    Quando a emissora faz campanha aberta pro Aécio e a Tucanada, quando promove uma verdadeira guerra a um governo popular, ataca e desrespeita abertamente a maior autoridade desse país: nossa presidenta eleita com o voto legitimo da maioria do seu povo.
    Pergunto: nessa hora ninguém ao menos desconfia ?!?
    Ninguém ao menos se pergunta quais os reais motivos da globo para se caracterizar abertamente cabo eleitoral do PSDB ?
    Ninguém esta ao menos curioso dos objetivos por trás das denuncias bombásticas, de ultima hora ?
    Será que a globo sabe e esta de fato comprometida com o que é melhor para todo o Brasil ?
    Onde esta o senso critico dessa gente, que passa o ano inteiro defendendo a qualidade e nível do que entra em suas casas ?
    Onde esta a indignação? a mesma que manifestam contra a lavagem que nos oferecem como diversão ?
    Será que essas pessoas são de fato tão ingênuas ? Ou será que elas apenas querem parecer intelectuais e obter credibilidade para o que convém a seus interesses pessoais e profissionais ?
    Será que existe alguém que seja critico e seleto apenas nas segundas, quartas e domingos ? A coerência mandou lembranças...

    Não tenho a pretensão de me achar dona da verdade, tampouco creio que tenha pleno domínio das ciências políticas e econômicas...
    Sou apenas uma contadora, cuja profissão tem por principio fundamental: o estudo e zelo pela continuidade do patrimônio seja ele de pessoas físicas ou jurídicas; publicas ou privadas, e nesse contexto entendo a importância de cuidar do que é nosso, do Brasil,
    Penso que vender tudo a preço de banana e inverter a propriedade de nossos maiores bens, possa nos levar a viver de esmolas, pedintes de favores...O Estado reduzido à insignificância é o povo minimizado em poder de decisão...Enfim conceitos...
    Peço apenas que os intelectuais; inteligentes e sensatos durante os 3 anos e 363 dias que nos separam das eleições reflitam um pouco na hora de escolher algo que não poderemos resolver simplesmente mudando de canal, ou assinando TV a cabo.
    Talvez você, Marcio, que notoriamente tem mais conhecimento sobre algumas questões de “funcionamento” humano, poderia explicar como se dá esse fenômeno de “intelectualidade de boteco” em tantas pessoas . Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angelita, segundo penso, o que você chama de "intelectualidade de boteco", e eu assino embaixo, se deve fundamentalmente a dois fatores: 1º a seletividade da mídia, que somente convida e mantém no ar os intelectuais que deem suporte ao pensamento da própria mídia; 2º à vaidade, pois mesmo os que pensavam diferente no início da carreira acabam sendo contagiados pelo vírus da exposição na mídia e, querendo continuar na condição de celebridade, vendem a própria inteligência para adaptá-la ao conteúdo que os manterá sob os holofotes. Acho que é por aí. Olha, se você quiser, pode me acompanhar pelo Facebook. Peça para ser adicionada. Abraços.

      Excluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Caro Marcio, parabéns pelo texto lúcido, respeitoso e esclarecedor. Também me surpreendi com a postura do Prof. Roberto DaMatta, que saudei no seu retorno ao Brasil como uma parcela importante a somar com a intelectualidade brasileira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico bem feliz, José Celso, que você tenha gostado. Espero que você volte. Abçs.

      Excluir
  22. Professor Marcio Valley, Eu e meu grupo de amigos que não são muitos, mas, verdadeiros amigos. Estamos refletindo mais sobre nossos atos, nossos silêncios sobre o que vemos e ouvimos dioturnamente e por todos, principalmente pela imprensa MARROM.
    E é esse silêncio, que tem incomodado a mim e meus amigos, o silêncio diante da seletividade das informações, o silêncio diante da mentira, o silêncio diante das mais cruéis covardia da homofobia, o silêncio diante da falta de caráter, silêncio diante de que tudo é politicamente incorreto, silêncio diante dos imbecis que enchem o nosso saco e se dizem cultos, (colunistas em sua maioria de São Paulo), silêncio diante de ver crescer diante de nossos olhos o ressurgimento do neofascistas, e por incrível que pareça e, de forma mais acentuada, também em São Paulo, Pois bem! A pergunta que eu e meus amigos nos fazemos hoje é: SERÁ QUE ACOLHEMOS TANTOS ESTRANGEIROS E ESSES MESMOS ESTRANGEIROS QUEREM NOS DIVIDIR? E ai vem uma insuportável constatação. Diante de tantos os silêncios constatamos que os estrangeiros que aqui foram tão bem acolhidos, hoje tentam nos dividir; e me perdoem os menos observadores, são imbecis e não me venham com essa de somos bairristas ou xenófobos, não não somos, e eu e meus amigos apenas percebemos, que o velho mundo (europeus)acostumados com aquela segregação histórica e que fazem parte da História, também trouxeram em suas malas, esse sentimento que tanto lhes afetavam em seus países de origens, e ai, há muito tem nos incomodados; e São Paulo, tem nos incomodados bastante.
    Quanto texto, muito lúcido e muito me alegra saber, que os Cultos de fato, tem reconhecidos os mais diversos avanços na história política do Brasil, Ah! esses tem nos enchidos de orgulhos, não são vozes dissonantes, são vozes que ecoam, e nós, os simples leitores, ficamos com a opção de nos calar, ou propagar. Eu sem dúvidas, vou propagar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário de Andrade, Amaury.

      Excluir
    2. Obrigado Amaury Andrade, pelo comentário. Olha, não sou professor, não, sou da área jurídica. Bom saber que existem pessoas formando grupos para pensar o Brasil. Muito positivo. Parabéns. Abraços. Marcio Valley.

      Excluir
  23. Celso Felício Panza6 de novembro de 2014 14:33

    Por um acaso vejo em meu nome na WEB onde se encontram inúmeros trabalhos meus, este espaço que acessei por convite de seu detentor que foi ao meu espaço me convidar.Mas em qualquer lugar há patranhas e incivilizados que pensam poder assacar contra as pessoas e que seus IPS estão protegidos. A mesma educação que se tem no possuidor do espaço não se vê em outros.Não leio qualquer coisa e aceito como disse o Sr. Silvio Barbosa, do alto de suas deficiências e insciências, e não preciso ser pago por ninguém para emitir minha opinião, não tenho partido, respeito a todos, sou Consultor Jurídico e magistrado aposentado, não me confunda com seu perfil e condutas próprias em espelhos féleos próprios de condenados notoriamente pela justiça,com penas diminutas, infelizmente. Pobres coitados que vivem remunerados por essas inclinações criminosas e pensam estarem em algum patamar no qual essa dicção de asneiras serão recepcionadas, como o outro que sem identidade, como próprio desse "grupo", se escondem no anonimato, a dizer que repito o que leio. Só da idiotia nasce a idiotice, como desses dois párias da compreensão, problema de disfunção etiológica. Dá-se importância o que é importante, e quem são essas nulidades arrazoando nonadas? Nada. Reduzam-se às suas insignificâncias,Celso Felício Panza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Celso Felício Panza, peço desculpas pelos comentários que lhe desagradaram. Como disse antes, respeito amplamente o direito de cada um de emitir suas opiniões, mesmo que discordem das minhas. Espero que você retorne ao blog com suas críticas e sugestões.

      Excluir
    2. Celso Felício Panza6 de novembro de 2014 16:51

      Marcio, você não me deve desculpas. Não há penitência para a falta de educação de terceiros. Sua civilidade, inteligência e formação divergem dessa toada de falta mínima de respeito a quem nem se conhece, mas é o velho adágio, cada um dá o que tem, e quando nada se tem, se pensa que os outros têm o mesmo padrão, escrever sob paga para manifestar o livre direito de expressão. Meu abraço e fique tranquilo, gostei muito de seu contraditório e resposta, queremos o mesmo, o bem de toda a nação. Abraço. Celso

      Excluir
    3. Ok, Celso. Isso é bom porque a divergência respeitosa é mais sadia para a construção do conhecimento. Não estou muito preocupado em estar certo, que chegar o mais próximo possível da verdade (essa meta inatingível). Grande abraço.

      Excluir