quarta-feira, 10 de outubro de 2012

A Barbie negra


Navegando pelo Facebook, deparei-me com uma postagem feita por pessoa amiga, na qual aparecia a fotografia de uma boneca Barbie negra, todavia com feições nitidamente finas. A fotografia supostamente intentava elogiar a beleza negra.
Uma outra pessoa, porém, arguta, fez uma crítica bem razoável, afirmando que a boneca não representava a beleza negra, pois possuía traços finos.
Refutando essa crítica, um outro comentarista postou o seguinte argumento: "É besteira acreditar que, todos os negros tenham que ter traços de negro; cabelo ruim, nariz achatado e outros mais; acreditem, existem pessoas de pele escura que tem os mesmos traços que as pessoas de pele branca, bem como brancos com cabelos crespos como os negros."

Não conheço a pessoa que fez a inteligente crítica, tampouco a que contra-argumentou. Porém, creio que a que postou a refutação da crítica, nem sei se por mera infelicidade, acabou por produzir uma colocação inteiramente preconceituosa.
A começar por "é besteira acreditar que todos os negros tenham que ter traços de negro".
Essa frase possui uma contradição intrínseca.
É fato que existem negros, de genética remota, ou seja, sem a colaboração recente de brancos europeus, com lábios e narizes mais afilados, como os egípcios ou etíopes. E existem também os negros que, por miscigenação, possuem feições finas.
Porém, o negro, por definição, é negro e inescapavelmente terá feições de negro, já que as feições são suas, não de um branco. Em outras palavras, ainda que o negro possua feições afiladas, essas feições são de negro, pois pertencem a um negro.
Ou seja, a pessoa que fez o comentário, de forma condescendente, não nega ao negro a possibilidade de ter traços finos, mas não de negro e sim de branco ("nem todo negro tem que ter traços de negro", logo, pode ter traços de branco). Aí já se revela o preconceito.
Não bastasse isso, ao limitar os traços finos aos brancos, o que não é verdadeiro, como já visto, e assumir que o negro com essas feições afiladas possui beleza, a comentarista pode fazer presumir que a beleza negra está restrita ao negros com traços de brancos. E a comentaristas finaliza pondo a cereja do bolo de preconceito ao utilizar a expressão "cabelo ruim". Então, somente o cabelo liso é que é "bom"? O enrolado ou o carapinha são "ruins" e, por isso, feios.
Lamentável.
Acho que a grande questão que se impõe é a da valorização da estética do diferente. Temos que começar a enxergar beleza no ser humano motivados simplesmente pelo fato dele ser humano, independentemente de sua etnia ou de suas formas corporais. A pessoa não escolhe nascer com determinada genética. Ela nasce assim.
Especificamente no caso dos negros, a meu ver, a verdadeira beleza negra é representada, sim, pela negritude da pele, pelos lábios mais espessos, pelo cabelo encarapinhado e pelo nariz mais largo.
Essa Barbie negra nada mais é do que uma Barbie loura que foi empretecida, desservindo totalmente à causa afirmativa negra. Pelo contrário, reforça no imaginário popular a estética padrão branca, magra, loura e de olhos azuis (ou verdes, no caso).
O problema disso é que a maioria do povo não é branco, magro, louro e de olhos azuis. A maioria é mestiça, de olhos castanhos, está acima do peso, não possui as formas do Brad Pitt ou da Angelina Jolie e nem se veste como as atrizes e atores de Hollywood.
Nós veneramos uma beleza que não possuímos e essa veneração insipiente culmina por conduzir ao desgosto com a própria imagem, aos recalques, ao desejo insano pela manipulação do próprio corpo em perigosas cirurgias plásticas.
Talvez seja hora de homens e mulheres começaram a prestar atenção em quem e como são, de verdade, essas pessoas reais, de carne e osso, que todos os dias passam por suas vidas. Pessoas que são magrinhas ou gordinhas, negras ou brancas, altas ou baixas, cabeludas ou carecas, com todos os membros ou não.
Chegamos a um marco civilizatório, de construção da inteligência, que permite a todos a percepção da importância de dar chance ao diálogo como construtor das relações interpessoais, para além da mera aparência.
É dialogando que alcançamos enxergar no outro o que ele guarda dentro de si, o bem e o mal.
Pior ainda é constatar que algumas pessoas afastam-se de outras pela aparência mesmo para relação de amizade, ou seja, ainda que não tenham nenhum interesse em relacionamento romântico.
Sequer dá para compreender as razões que impelem alguém a pautar suas relações sociais pela cor da pele ou pelo tamanho da circunferência abdominal.
No que concerne ao relacionamento romântico, não resta dúvida de que a beleza constitui importante estímulo sexual, porém não menos induvidoso é que esse apetite inicial não dura longo tempo.
A inteligência e o humor, pelo contrário, fascinam no primeiro momento e continuam a fascinar por toda a vida. A inteligência faz rir e, diz a sabedoria popular, quem te faz rir é que irá te fazer feliz. Inteligência e humor, graças aos céus, e diferentemente dessa estética de beleza que nos empurram pela goela, são virtudes distribuídas de maneira mais uniforme pelas pessoas.
Procure alguém que te faça rir. Se achar, agarre-a.
E, no geral, queira pessoas boas, do bem e inteligentes ao seu lado, independentemente da conformação de seus corpos.
O lucro será seu.

12 comentários :

  1. Nosso mundo é tão racista que o lançamento de uma boneca negra é notícia.

    ResponderExcluir
  2. De fato, toda ação afirmativa contra um preconceito embute, em si, a confissão do preconceito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nao seria mais correto afirmar, que: "toda ação afirmativa contra um preconceito embute, em si, uma confissão de discriminaçao"?

      Excluir
  3. Nossa, sou negra e vou te dar um conselho : não tem mais nada importante a fazer do que ficar pagando dessa chatice de politicamente correto ??? A barbie negra ficou linda, não sei se tivesse outra cara ficaria tb, mas do jeito que está, ficou ótimo.
    O mundo está ficando um porre com esses pseudos ativistas das chamadas minorias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso que você não entendeu o texto. Vou tentar torná-lo mais claro. `Primeiro, não defendo qualquer minoria, mas a maioria. Isso porque o que encontramos estabelecido como belo representa uma estética histórica de exclusão: a beleza da minoria rica, desde os faraós, em contraposição à beleza dos pobres, os servos. Esta última acabou se tornando o paradigma do feio. É contra esse tipo de exclusão que escrevi. Toda a multiplicidade da beleza humana deveria ser respeitada, admirada e divulgada. É isso.

      Excluir
  4. ue e dai? sou mulata tenho o tom de pele da sheron menezzes e tenho os traços finos.......sou descendente de portugueses, italianos , belgas , indigenas e africanos e nao acho bonitas as pessoas de feiçoes grossas..e nem sinto atraçao.... gosto mesmo e de feiçoes finas alinhadas e cabelos com tranças ou lisos ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo que você se ache linda. Parabéns. Lamento que você pense que as negras de traços grossos não possam se sentir assim, lindas e maravilhosas.

      Excluir
  5. A boneca Barbie negra é linda não importa se tem o cabelo liso ou cacheado ela é linda de todo jeito, o problema é o seguinte é que a maioria das pessoas não gostam de comprar boneca que tem o cabelo cacheado elas gostam do cabelo liso, ou seja a Mattel não vai ficar fabricando boneca negra de cabelo cacheado se a venda é muito pouca então ela esta mais do que certa deixar o cabelo da boneca liso se a procurar é maior, eu sou negra e gosto do cabelo dela liso pois é perfeito.

    keiliane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas há de convir que os traços não são de negros nariz super fino, lábios finos, cabelos lisos. Enfim se eu fosse negra iria achar ridículo uma boneca caracterizar minha raça dessa maneira tão falsa.

      Excluir
  6. Detalhe fora os traços não serem nem de perto da raça negra ainda os olhos são cor de mel. Enfim só mudaram a cor da pele. O preconceito realmente ainda existe, senão fariam a boneca com traços negros e seria linda.

    ResponderExcluir
  7. Excelente tópico!
    Vamos comparar?quantas meninas erurodescendentes tem cintura proporcional a Barbie caucaseana?então elas não são étinicamente representadas por bonecas com esta cintura,qual a porcentagem das meninas caucaseanas que tem a proporção do busto da boneca?ou o tom idêntico da pele?ou olhos azuis ?quantas pessoas caucaseanas usam 'chapinha' ou escova 'inteligente' para alisar os cabelos?quantas eurodescendentes tem cabelo cacheado?e quantas colocam silicone no busto? Então uma iniciativa de introduzir outros modelos de bonecas como indianas,chinesas,coreanas,haitianas irá contar com vários modelos.Assim como eurodescendentes são diferentes:um francês,um italiano e um polonês são europeus mas com aparências diferentes um angolano,um moçanbicano e um etíope também!Assim como uma caucaseana põe silicone e usa chapinha uma menina afro pode mudar seu cabelo e por silicone.
    Quanto ao valor das bonecas e modelos segue link.

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-723302915-barbie-nichelle-model-of-the-moment-negra-model-muse-afro-_JM

    http://entretenimento.band.uol.com.br/galeria/?id=1000004875

    http://afrokut.com.br/page/comprar-barbie-negra

    ResponderExcluir